17 abril 2008

Enterro da Gata

Fala-se do enterro da gata, a festa da academia minhota aqui e aqui. A designação é única em Portugal, e a bem da verdade, convém não esquecer que nome e tradição, são anteriores à Universidade do Minho: nasceram na Escola Secundária de Sá de Miranda, antigo Liceu Nacional, bem como a comemoração do 1º de Dezembro. Aliás, isto deveria ser recordado e documentado pela instituição actualmente responsável.



imagem raptada na Escola Secundária de Sá de Miranda


[n.d.r.] a Universidade do Minho foi fundada em 1973

4 comentários:

Anónimo disse...

li por aí num blogue que quem teve a ideia de levar a gata pró estádio foi o gajo do psd, o que quer ir prá câmara. gostava de saber o que é que lhe dei na cabeça, a gata na pedreira, olha questa...

koolricky disse...

Sinceramente, sou estudante (não na UM, nem sequer em Portugal) mas acho que a festa, nos moldes em que está, não tem jeito nenhum. Naquela parte da cidade vivem cerca de 20 mil pessoas. A música é ensurdecedora, eu vivo a mais de um quilómetro de distância e ouço tudo.
Há muita gente que trabalha. Há muita gente que tem crianças que precisam de dormir e não conseguem e depois são apanhadas na sala de aula a dormir. Aquela zona é uma zona residencial.
Se quiserem concertos no centro comecem-nos mais cedo e acabem-nos a horas decentes para os moradores locais. Só num país como em Portugal é que a força laboral é importunada desta maneira por uma festa estudantil.
Não minto que não tenha estado em alguns concertos do enterro da gata no passado, mas também lá estaria se começassem mais cedo.

Francisco Rodrigues disse...

Concordo em absoluto. Aliás, se fizessem os concertos e a festa durante o dia, até à meia noite era o ideal. Os moradores dormiam à vontade e os donos dos bares continuavam a ganhar o seu depois do fecho do recinto.

Francisco Rodrigues disse...

...até porque nessa semana não há aulas.