05 setembro 2007

O Regresso do Eléctrico Bracarense


"O eléctrico é um meio de transporte muito utilizado ao longo do século XX, nas maiores cidades de todo o mundo. O eléctrico faz normalmente percursos turísticos, mas o facto de ter prioridade sobre os demais transportes terrestres leva a que se tenha tornado um meio de transporte rápido, utilizado por largos sectores da sociedade no seu dia a dia.

O eléctrico chegou a Braga em 1914, tendo muita popularidade até aos anos cinquenta. Em 1963, devido à acelerada degradação da qualidade do serviço prestado pelo eléctrico, a Câmara de Braga passa a priveligiar o uso de troleicarros, transporte que será utilizado até 1979. Tanto os troleicarros como o eléctrico circulavam em duas linhas: uma desde o Monte de Arcos até ao Parque da Ponte e outra desde o Elevador do Bom Jesus até à Estação de Caminhos de Ferro.

O eléctrico deixou muita saudade e a Braga do século XXI, moderna e acolhedora, não pode deixar de ponderar seriamente o regresso do eléctrico. A aposta não seria exclusivamente turística, uma vez que o eléctrico seria uma excelente alternativa a algumas das linhas de autocarros da TUB (parte das linhas 2, 7 e 24) e poderia servir, no imediato, a tão desejada e necessária ligação entre a Estação de Caminhos de Ferro e a Universidade do Minho, seguindo depois para o Bom Jesus.

Não é preciso viajar muitos quilómetros para beber o exemplo: os eléctricos voltam à Baixa do Porto já no próximo dia 21 de Setembro. E como seria electricamente pacificador percorrer estas ruas em que o granito quando molhado ganha mais vida..."

A petição para o Regresso do Eléctrico a Braga já está online. O Avenida Central desafia todos os cidadãos e todos os blogues a juntarem-se ao desafio de construir uma Braga com melhor mobilidade e muito mais apelativa turisticamente.

Aceder, assinar e divulgar através do endereço:
http://www.petitiononline.com/braga/petition.html

por Pedro Morgado no Avenida Central

2 comentários:

Pedro Morgado disse...

Obrigado pelo apoio à iniciativa.

Abraço

zul disse...

Sem dúvida uma mais valia, tanto no aspacto ambiental como no turísco, só ao nível das grandes cidades. Que os responsáveis acolham a ideia e a coloquem em prática para que os bracarenses (e não só) possam voltar a ter tão fantástico meio de transporte.