22 abril 2008

Estudo americano... bla bla bla

Na rádio tenho ouvido publicidade a um tal "lipo(qualquer coisa)" que ajuda a emagrecer... A comprovar o dito produto referem um "estudo americano" que comprova tratar-se de um produto de grande qualidade...

O que me leva a escrever este "post" é clarificar que o facto de um estudo ser americano não dá ou deixa de dar qualquer credibilidade ao mesmo... Ao contrário do senso comum, a ciência não se faz por países de origem (ou não...), faz-se sim por sistema de arbitragem ("refree")... Ou seja, se queremos "certificar" um dado resultado não interessa dizer se o estudo é americano, russo, polaco, ou chileno. O que é importante é dizer onde foi publicado e como reagiu a comunidade científica ao mesmo...

Numa sociedade evoluída este tipo de publicidade não deve, nem pode, vender...

3 comentários:

Necronomicon disse...

Mas infelizmente vende. Por estas e por outras, a aposta na educação é obrigatória.

koolricky disse...

Obviamente, publicar na Acta Bullshita até pode ser um espectáculo. Desde que os jornais o vendam bem.
Agora a sério, isso acontece em todo o lado. Todos os dias no Sun, por cá pelas terras de Sua Majestade, aparece uma coluna sobre as mais recentes descobertas. E é cada atropelo à ciência que até mete dó!

scheeko™ disse...

O facto é que é algo que está bem entranhado nas nossas mentes, dos velhos aos novos.

Nos estados unidos, em termos de estudos, não se ouve tanto isso, mas noutras coisas (mais mundanas, algumas, como a moda) sim: it's european!